Venda por consignação

consignação
vendas

#1

Olá pessoal!

Lojistas ou vendedores que trabalham com consignação. Eu queria saber mais sobre as condições que vcs adotam. Sei q não deve ter uma regra geral e que isso vai variar conforme a negociação e o segmento. Mas oq vcs não abrem mão nesse tipo de acordo? Em caso de mercadoria que ficou exposta e ficou com defeito o lojista paga? No geral tem alguma margem mínima q o lojista espera com o produto de vcs?

Se puderem dar mais dicas sobre isso, agradeceria e muito!! =)


#2

Fala Tiago, eu não sou nenhum especialista no assunto, mas hoje mesmo publiquei um artigo sobre esse modelo de negócios: https://analistamodelosdenegocios.com.br/modelo-de-consignacao/

Pelo o que pesquisei, a margem varia de 20 a 60% e realmente dependente muito do tipo de produto. Geralmente, taxas maiores, de 40 a 60%, para itens usados (ex: brechós) e taxas menores, de 20 a 40%, para itens novos (ex: lingerie). Somente nos casos de livrarias e bancas de jornais é que se encontra taxas altas para livros (50% em média) e revistas novas (30% em média).

Quem vende através desse sistema precisa ter em sua previsão orçamentária um pequeno valor dedicado a produtos para amostragem, como no caso da mercadoria exposta, que considera a perda total do mesmo (custo afundado) ou a venda dele por um valor com desconto (como 50%) apenas para minimizar a perda financeira - ou seja, não se pretende ter lucro com esses produtos de exposição.

Mas o melhor mesmo é você conversar com os lojistas e perguntar quais são as condições acordadas com outros fornecedores que trabalham nesse modelo de consignação. Assim você terá uma visão mais acertiva das condições praticadas.


#3

Tem como não amar essa comunidade??? Ajudou muito Daniel!! Excelente artigo!!


#4

Olá Tiago,

Eu tive uma revistaria durante alguns anos e trabalhava com duas distribuidoras de revistas e jornais.

  • A minha margem para revistas e jornais era sempre de 30%. Acredito que era o comum do mercado.

  • Em caso de mercadoria com defeito eu nunca fui cobrado. Algumas vezes as mercadorias já vinham com algum defeito e nestes casos a distribuidora entregava mesmo assim e pegava de volta após o período de consignação.

  • Muitas vezes recebia mais produtos do que conseguia expor e quantidades acima do que conseguia vender… Apesar de solicitar que eles não enviassem mais pelos motivos mencionados as distribuidoras insistiam em enviar esse tipo de mercadoria. Desta forma eu precisava saber (através de dados sobre a quantidade de vendas) o que valia a pena expor e o que literalmente iria guardar no estoque até o fim do período de consignação.

  • Foi muito importante ter um controle de vendas para poder tomar a melhor decisão do que deveria expor nos melhores lugares até o que não deveria expor.

  • No caso de novas revistas, costumava fazer testes de exposição para ver se havia demanda para o novo lançamento.

Tive alguns outros produtos que começaram como consignados mas, após averiguar que eram produtos que tinham vendas consistentes, eu passei a comprar pois aumentou minha margem de lucro.

Espero ter ajudado.

Abraços.


#5

Ajudou e muito Thomaz!! Muito obrigado!!! :grinning: